• Tornamos seu evento um sucesso inesquecível, com qualidade e segurança
05abr
2018
0

Planejando sua Festa #3: Gaste Menos com o Tema Certo (na Hora Certa)

O objetivo deste artigo é dar uma luz sobre como economizar na hora de fazer a sua festa, escolhendo o tema certo para o momento. Claro que existem outras formas de economizar, como usar material mais barato, comprar menor quantidade, improvisar, mas o artigo não se trata disso, se trata de ESCOLHA DE TEMAS DE FESTA. Vamos dar exemplos relacionados à festas infantis, mas servem também para festas temáticas de adultos, e até para alguns itens de casamento.

Note que essas dicas se aplicam principalmente à produtos que NÃO SÃO feitos sob encomenda, ou seja, produtos já disponíveis no mercado para compra imediata, que você usará para a decoração, dará como lembrancinha, etc. Os produtos feitos sob encomenda são “coringas”, feitos na hora, sem estoque, logo não sofrem interferência no preço devido à procura.

Então vamos lá, como assim “tema certo, na hora certa”?

“-O aniversário do meu filho todo ano é na mesma data, não tem como esperar outro momento! Que bobagem é essa?”.

Sim, muito possivelmente você não pode mudar a data da festa do seu filho, mas pode ESCOLHER O TEMA CERTO PARA AQUELE MOMENTO. 

Você naturalmente já notou, ou pelo menos ouviu dizer que quanto maior a oferta de um produto, menor vai ser o preço. Quando está em época de tomate, depois de algum tempo o preço do tomate cai, porque todo mundo está produzindo e vendendo tomates. E o mesmo vale para temas de festas.

O primeiro ponto é entender quais são os tipos de temas possíveis:

  • Temas genéricos – são aqueles que sempre existiram e continuarão existindo.

Exemplos: princesa, bailarina, palhaço (para crianças), anos 80 (para adultos), etc…

Não é muito difícil encontrar bailarinas e palhaços para decorar a sua festa ou dar de lembrancinha (podem ser bonequinhas, brinquedinhos, etc). O mesmo vale para objetos vintage para decoração e roupas meio retrô para adultos. Você não precisa nem procurar lojas de festas, pois é possível achar esses temas em um armarinho ou loja de departamento.

  • Temas tradicionais – são temas quase eternos, mantidos por filmes e séries infantis que não são esquecidos ou tradições sociais.

Ex: Temas infantis como Mickey e Minnie, Toy Story, Princesas Disney, e temas adultos como Casamento, bodas, etc.

Desde que eu era criança (a muito tempo atrás) o Mickey decora mochilas, estojos, cadernos, bloquinhos… Hoje em dia é impossível ir numa loja de departamento e não achar meia duzia de produtos e uma dúzia de brinquedos com uma princesa da Disney ou um Buzz Lightyear… Se você for a uma casa de festas, a diversidade de opções será enorme… O mesmo vale para temas adultos como casamento, 15 anos, etc, você não precisa necessariamente ir a uma loja especializada para conseguir lembrancinhas ou decoração.

  • Temas modinha – São os que aparecem sabe-se lá porque, sabe-se la de onde, como no caso das festas Unicórnio atualmente (até o carnaval deste ano só deu unicórnio), mas somem com o tempo.

Ex.: Temas infantis “modinha” tem um ciclo curto. Moana era trending até o ano passado e hoje ninguém mais liga. Temas adultos como o “casamento zumbi” (felizmente) também já caiu no esquecimento.

O tema modinha por ser muito procurado, é o foco deste artigo. Ele obedece uma progressão bem evidente, dividida em fases:

Na fase 1 (histeria), fulalinho famoso fez uma festa com o tema “dinossauro-bombeiro-voador” que saiu nas revistas de personalidades e apareceu na TV. No dia seguinte, a procura pelo tema “dinossauro-bombeiro-voador” dispara porque pais e/ou filhos querem este tema para a festa. Os poucos que tiveram a sacada de trabalhar com “dinossauro-bombeiro-voador” (por que será?) vêem a oportunidade e cobram mais caro pelos produtos, já que a oferta é baixa (poucas pessoas tem este tema para vender).

Na fase 2 (alta demanda), outros profissionais da área de festas vêem o sucesso do tema “dinossauro-bombeiro-voador”, dizem: “- Por que não pensei nisso antes?” e começam a trabalhar com o tema. Por conta disso, quem vendia mais caro vai ter que reduzir o preço, já que chegaram concorrentes. Este ainda não é o melhor momento para fazer a sua festa de “dinossauro-bombeiro-voador”, mas seu filho quer muito… Se você decidir fazer agora, a única vantagem será a quantidade de opções e diversidade de produtos que estarão à disposição.

Na fase 3 (normalização), quem ficou desesperado e ansioso para usar o tema “dinossauro-bombeiro-voador” já fez sua festa. E o estoque atingiu os níveis máximos em diversidade de produtos, e os profissionais começam a se preocupar: “- O que vou fazer com essas toneladas de dinossauros-bombeiros-voadores?”. E começam a reduzir os preços. E este é o melhor momento para fazer a sua festa, se você conseguiu esperar.

Na fase 4 (esquecimento), é tarde demais. Devido aos preços baixos, os estoques de “dinossauro-bombeiro-voador” estão quase no fim. Não tem muita variedade de produtos, e ninguém liga mais para o tema… O custo está muito baixo, mas seu filho já foi em várias festinhas de “dinossauro-bombeiro-voador” e viu que é ridículo, não vai querer festa disso. Afinal, o tema da vez será o “sapo-astronauta-prateado”…

Como eu sei quanto tempo leva cada fase dessas? Acompanhando e pesquisando. Como foi dito em outros artigos, uma festa começa meses antes, no planejamento. Deixando para a última hora você nunca irá economizar. Planejando com antecedência, haverá muito tempo para acompanhar possíveis temas e escolher as melhores opções.

Se o objetivo é economizar, pesquise com antecedência e aguarde o momento certo.

O resumo da história é: Sabemos que é difícil controlar a ansiedade de uma criança (e de alguns pais), mas tente não agir por impulso. É pode ser melhor uma festa planejada e completa do Mickey do que uma festa meia-boca improvisada do “dinossauro-bombeiro-voador”.

E lembre-se: faça vários orçamentos em diferentes lojas, e utilize o Google e os portais de vendas e artesanato como Mercado Livre e Elo7 para pesquisar temas e produtos.

Sem comentários

Responder